[user_role_editor except_roles=”aprovacao, bloqueado, none”]

AES Tietê (TIET11): Assina acordo para aquisição do Complexo Eólico Alto Sertão III; Um marco para a Tietê, reiteramos COMPRA

O que aconteceu
Em 9 de abril, a AES Tietê anunciou a assinatura de um acordo para aquisição do Complexo Eólico Alto Sertão III da Renova Energia, além de um portfólio de projetos eólicos ainda a serem desenvolvidos.

A transação engloba 438MW de capacidade pré-operacional de projetos eólicos e solares (“Fase A”, totalmente contratada e adquirida por R$ 350 milhões), 305MW em projetos prontos para iniciar a construção (“Fase B”, que operará no mercado livre e foi adquirido por R$ 90 milhões) e um portfólio de 1.100 MW de projetos de geração adquiridos por R$ 76 milhões. Além disso, a AES Tietê assumirá R$ 988 milhões em dívidas relacionados ao complexo.

Com base nas informações fornecidas, desenvolvemos modelos para estimar os impactos potenciais dos projetos da Fase A e Fase B para a AES Tietê. Os principais destaques da nossa análise são os seguintes:

  • Aumento do endividamento para 4,58x Dívida Líquida / EBITDA vs. 3,0x no 4T18 e a cláusula restritiva de 3,85x da empresa. Após a conclusão dos investimentos necessários na Fase A, a alavancagem aumentaria para 5,02x;
  • Taxas de retorno reais de 9,9% para a Fase A e 8,7% para a Fase B, implicando em um ganho de R$0,51/ação;
  • Para a Fase A, estimamos uma adição de + R$ 255 milhões (ou + 19,6%) à nossa projeção de EBITDA em 2020, quando o projeto deverá se tornar totalmente operacional;
  • Para a Fase B, estimamos uma adição de + R$ 157 milhões (ou + 11,0%) à nossa projeção de EBITDA em 2022, quando o projeto deverá se tornar totalmente operacional;
Nossa visão
Vemos a aquisição do Complexo Alto Sertão III como um marco para a AES Tietê, demonstrando o compromisso da empresa em diversificar para o segmento de renováveis, a fim de diluir os impactos da baixa incidência de chuvas nos resultados da empresa

Além disso, vemos preocupações relacionadas a um possível aumento de capital para financiar a transação como exageradas, haja visto que a empresa conseguiu obter taxas de retorno sem paralelo em leilões de energia. Além disso, destacamos que a empresa pode obter retornos ainda maiores na forma de melhores condições de financiamento, possível renegociação das cláusulas restritivas de dívidas atuais e menores gastos com investimentos em relação às nossas estimativas.

Reiteramos nossa recomendação de Compra nas ações da AES Tietê, com preço-alvo de R$15/ação (que não incorpora nossas estimativas do complexo Alto Sertão III).

Fonte: https://xpilink.xpi.com.br/ev/PFSPF/CCI/3595/DzHfTAZbS8u/BKVU/

 

[/user_role_editor] [user_role_editor roles=”none”] Você Não Está Logado

[/user_role_editor] [user_role_editor roles=”aprovacao, bloqueado”] Liberar Acesso

[/user_role_editor]