[user_role_editor except_roles=”aprovacao, bloqueado, none”]

Frigoríficos: O ciclo positivo continua

Iniciamos Marfrig com Compra; Reiteramos Compra em JBS; Neutro em BRF

Iniciamos cobertura da Marfrig com recomendação de compra e preço-alvo de R$9,0/ação. Também ajustamos nossos números para JBS, reiterando nossa recomendação de compra e aumentando nosso preço alvo de R$16/ação para R$20/ação. Na BRF, mantemos nossa recomendação neutra com um preço alvo de R$28/ação. Em geral, vemos um ambiente positivo para todas as proteínas, no Brasil e nos EUA, que representa 60% dos negócios da Marfrig e 70% da JBS.

Apesar de acreditarmos ser cedo para um cálculo preciso dos impactos potenciais da Peste Suína Africana na China, reconhecemos que é um tópico a ser monitorado, e que poderia mudar significativamente a dinâmica global, beneficiando BRF, JBS e Marfrig. Sobre a carne bovina, os resultados sazonalmente mais fracos no primeiro trimestre podem pressionar as ações dos frigoríficos, mas seria um ponto de entrada interessante, à medida que continuamos a ver tendências sólidas à frente com forte demanda e ciclo do gado positivo.

Marfrig: Negócios reformulados, foco em carne bovina e produtos de maior valor agregado
Depois de reformular seus negócios com o desinvestimento da Keystone e a aquisição de 51% da National Beef, acreditamos que a empresa está na direção certa para capturar um cenário positivo de proteínas à frente. Segundo nossas estimativas, a empresa negocia em 3,4x EV/EBITDA em 2019, atrativo.

JBS: Entrega de bons resultados e a melhor exposição global
Continuamos a ver sólidos resultados nos EUA e tendências mais fortes no Brasil, enquanto vemos potencial para uma reclassificação dos múltiplos, com menores riscos de governança e a possível listagem nos EUA. Sobre o possível impacto da Peste Suína Africana, a JBS é uma empresa muito bem posicionada, exportando para a China tanto carne bovina do Brasil, quanto suína de suas operações nos EUA. A JBS negocia a 6,1x EV/EBITDA 2019E e 5,0x 2020, o que consideramos atrativo.

BRF: Não conte os ovos dentro da galinha, mas prepare-se para isso
Embora esperamos recuperação dos resultados, vemos as ações negociando a 10,2x EV/EBITDA 2019 e 8,1x 2020, justo em nossa visão. A Peste Suína Africana é o principal risco positivo para o papel, mas acreditamos que é necessária mais clareza quanto ao momento e tamanho do possível impacto. De acordo com nossas estimativas, a BRF ainda queima caixa em 2019 assumindo EBITDA de R$ 3,4 bilhões em 2019. Se os preços aumentarem 10% em todas as regiões, o EBITDA poderá atingir R$ 5,5 bilhões (EV/EBITDA de 6,3x em 2019), melhorando a liquidez e diminuindo a alavancagem.

Fonte: https://xpilink.xpi.com.br/ev/PFRZT/CCI/6363/DzHfTAZbS8u/BKVU/

 

[/user_role_editor] [user_role_editor roles=”none”] Você Não Está Logado

[/user_role_editor] [user_role_editor roles=”aprovacao, bloqueado”] Liberar Acesso

[/user_role_editor]